Nem adianta tentar,
só eu entendo o que está escrito aqui,
mas leia e crie seus próprios significados.

Boa viagem!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Quem sou

Defina-me na sua vida,
Somente você pode me dizer quem sou.
Não saber me angustia.
Mas não ouvir de você torna minha existência confusa.
Confusão já me define,
Porém, não quero essa palavra,
Ela não me basta,
Ela não me alivia.
Preciso de alívio.
Do alívio que vem da certeza.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Conforto

Deus criou o veludo
Para fazer o pelo dos gatos.

Gato

Comida no prato,
Água na lata.
Mão na cabeça
E eu ronrono.
E o meu humano, esse bobo,
Ah, ele se derrete todo.

Fonte

Algumas vezes isto vem como em pequenas gotas.
Noutras, a fonte seca.
Às vezes quando a alma escurece.
Outras, quando no sol resplandece.
Não me pergunte como,
Não me confunda.
Porque assim talvez a fonte
Para sempre seque.

Coração e Mente

Hoje meu coração está mais presente
Que minha mente ausente.
Hoje a fala divaga
E o coração mente.
Mas somente hoje,
Pois em mim, quem fala é o coração.
Minha mente?
Essa apenas vaga.

Ciclo

Será que o tempo é a vida?
Ou a vida se traduz em tempo?
Se o tempo a vida fosse,
Qual sentido teria?
Não, somos mais que o tempo decorrido.
Somos o sonho vivido
Entre o início e o fim,
Entre o dia e a noite.

Inspiração

É que as palavras às vezes brotam.
Borbotões insanos.
Juntá-las é trabalhoso,
Às vezes, doloroso.
Juntam-se porém sozinhas,
Sem que nenhum esforço se faça,
A não ser o de lembrar-se
Daquilo o que a alma disfarça.

Verdade

Se minhas palavras nada valem,
Que meus atos desvendem
Aquilo que minha mente esconde.
Se ainda assim não acreditarem em mim,
Que meus olhos se derramem.
E o derrame dos olhos,
Em lágrimas traduzido,
Seja a testemunha da angústia vivida.

Cremação

Quando perdemos algo ou alguém importante,
É necessário que ele deixe de existir nos termos deste mundo insano.
Então, que o fogo consuma a matéria,
E a transforme na substância de que são feitos os sonhos.